• If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Social distancing? Try a better way to work remotely on your online files. Dokkio, a new product from PBworks, can help your team find, organize, and collaborate on your Drive, Gmail, Dropbox, Box, and Slack files. Sign up for free.

View
 

Lógica

Page history last edited by Inpi 1 year, 7 months ago

Conceitos

1 - Lógica - Avalia a validade dedutiva dos argumentos. Identifica as condições necessárias à operação que permite passar da verdade suposta de certas crenças à verdade de outras.

 

2 Proposição - Só as frases declarativas contêm proposições: afirmam, negam, atribuem, declaram ou constatam: por isso podem ser verdadeiras ou falsas. As frases Interrogativas, Imperativas, Exclamativas não contêm proposições.

Assim, a Proposição é o conteúdo, verdadeiro ou falso, expresso numa frase declarativa.

 

2.1. Proposições Simples - são Categóricas: Afirmam ou negam sem restrições.

 

 2.2. Proposições Complexas 

2.2.1. Condicionais - Afirmam ou negam sob determinadas condições.

2.2.2. Disjuntivas - Afirmam ou negam sob a forma de alternativa

2.2.2.1. Inclusivas - as alternativas não se excluem

2.2.2.2. Exclusivas - as alternativas excluem-se

 

2.3. - Proposição e Termo


2.3.1.Termo - expressão verbal do Conceito. Pode ser constituído por uma expressão, isto é, por várias palavras: "livros de poesia".

 

2.3.2. Conceito - Unidade básica do Pensamento: representação mental de uma realidade, que tanto pode ser uma classe ou espécie: reúne as características comuns a uma diversidade de seres; como uma realidade singular: reúne as características fundamentais de determinado ser. Cada conceito pode ser expresso por temos diferentes e vice versa: o mesmo termo pode expressar conceitos diferentes.

 

2.3.3. Definição de Conceito - visa fornecer o seu significado e permitir a sua compreensão.

2.3.3.1. Definição Explícita - Indica as condições necessárias e suficientes.

2.3.3.2. Definição Implícita - Não as indica.

 

2.4. Proposições Categóricas

2.4.1. Afirmam um termo predicado de um termo sujeito.

2.4.2. 3 Elementos da Proposição Categórica: Sujeito - ser em relação ao qual o predicado se afirma ou nega. Predicado - Característica ou qualidade que se afirma ou nega do Sujeito. Cópula - Elemento que os une. 

2.4.3. Função própria da Proposição Categórica: Afirmar ou Negar - S é P.

2.4.4. Proposições Afirmativas - Estabelecem uma relação de conveniência entre os Sujeitos e os respetivos predicados.

2.4.5. Proposições Negativas - Estabelecem uma relação de inconveniência entre os Sujeitos e os respetivos predicados.

2..5. Definição de Proposição Categórica - E2nunciado que cria uma relação de afirmação ou de negação entre termos, a qual pode ser verdadeira ou falsa

2.6. Quantificadores: 

2.6.1. Universais - "Todos", "Nenhum", "Qualquer"; neste caso o Sujeito é tomado na sua totalidade, isto é: o Predicado é afirmado ou negado de todos os membros da classe. "Todos os seres humanos são racionais."

2.6.2. Existenciais - "Alguns", Poucos; neste caso o Sujeito é tomado em parte, isto é: o Predicado é afirmado ou negado de apenas uma parte dos membros da classe. "Alguns humanos são cientistas".

2.7. Estrutura das Proposições Categóricas: as proposições categóricas são simples: afirmam ou negam algo: "Todos os Heróis são coraosos. Aqui afirma-se uma característica (ser corajoso) de um sueito (heróis). Afirma-se ou nega-se algo - o predicado - de um outro algo ou alguém - o sujeito. Há uma inclusão ou exclusão do sujeito na classe do Predicado.

2.8. Os 3 elementos que constituem uma proposição categórica: Sujeito - Ser de quem se afirma algo; Predicado - Qualidade ou característica que se afirma do Sujeito. Cópula - Elemento que liga sujeito e predicado. "S é P".

2.8.1. Forma Canónica: "S é P".

2.9 - Proposições Categóricas Afirmativas - estabelecem uma "conveniência" entre o predicado e o sujeito: "Lisboa é uma capital de Distrito". Neste exemplo, a proposição expressa é verdadeira.

2.10 - Proposições Categóricas Negativas - Estabelecem uma relação de inconveniência entre o predicado e o sujeito: "D. Afonso Henriques não foi o 1º rei de Portugal". Neste exemplo, a proposição expressa é falsa. 

2.11 - Termo Geral - indica os membros de determinada classe, na sua totalidade ou em quantidade indeterminada, conforme o quantificador que o acompanha. 

2.11.1. Extensão do Termo Geral - Conjunto de seres abrangidos por um conceito, isto é, é o conjunto dos elementos da classe lógica que o conceito define e o termo expressa. Ex: "Todos os seres humanos."

2.11. 2. Compreensão/Intensão do Termo Geral - Sentido ou significado de um conceito, isto é, o conjunto de características incluídas na definição do Conceito e que determinam a sua extensão. Ex: Propriedades comuns: animal, racional.

2.11.3. Relação entre extensão e intensão: quanto maior é a extensão menor é a intensão.

3 Juízo - operação mental que permite estabelecer uma relação entre conceitos. (a proposição mostra os conceitos relacionados entre si) 

 

3.1. Silogismo - 

3.1. Argumento - Conjunto de proposições relacionadas de tal modo que as premissas pretendem justificar a conclusão ou tese. O nexo lógico entre as premissas e a conclusão caracteriza o argumento. No argumento, as duas premissas constituem o antecedente e a conclusão constitui o consequente. (Não nas proposições condicionais)

3.1.1. Argumento Válido - Conclusão é consequência lógica das premissas.

3.1.2. - Argumento Dedutivo Válido - A verdade das premissas apoia sempre a verdade da conclusão.

 

3.1.2. - Entimemas - Argumento em que a primeira premissa ou premissa maior é omitida: "O Miguel não estuda. Logo não tem boas notas."

 

3.2.  -  Lógica Silogística - estuda os silogismos categórico, condicional e disjuntivo bem como as falácias mais frequentes nestes silogismos.


3.3. 4 Formas da lógica silogística

 

3.4. Figuras e Modos do Silogismo

 

3.5. Distribuição do Termo Geral numa Proposição - Os quantificadores permitem saber se o sujeito é tomado na sua totalidade (quantificadores universais) ou apenas em parte (quantificadores existenciais) ou seja, se o predicado é afirmado ou negado de todos os membros da classe a que o sujeito pertence ou apenas a parte deles. Diz-se que um Termo está distribuído quando é tomado universalmente, isto é tomado em toda a extensão do seu conceito.

 

3.6. Regras de Validade Silogística 3.7 Falácias Formais 3.7.1. Falácia do Termo Menor não distribuído 3.7.2. Falácia da Ilícita Maior 3.7.2. Falácia da Ilícita Menor

 

 

 

 

4 Raciocínio - ou inferência que constitui o movimento ou transição operado/a pelo nexo lógico entre as premissas e a conclusão.

 

5 Validade e invalidade - qualidades dos argumentos; válidos são os argumentos cujas premissas apoiam a conclusão. Distinguem-se conforme os argumentos são dedutivos ou não.

5.1 - Validade Dedutiva - refere-se a uma forma lógica: os argumentos dedutivos só são válidos se as premissas apoiam de modo absoluto e completo a conclusão: se as premissas são verdadeiras, a conclusão é verdadeira. Existe uma relação entre o valor de verdade das premissas e o valor de verdade da conclusão. O encadeamento das proposições - a sua forma lógica -  determina a validade ou invalidade do argumento.

EX Todos os Profes são inúteis

Todos os adultos com mais de 30 anos são Profes

Logo, todos os adultos com mais de 30 anos são inúteis

 Neste silogismo, se as premissas forem verdadeiras, a conclusão também o será. Todos os A são B; Todos os C são A. Logo, todos os C são B.

Mas, se mudarmos a estrutura do silogismo, a eventual verdade das premissas deixa de garantir uma irrecusável verdade da conclusão:

Todos os A são B; Todos os C são B. Logo, todos os C são A.

         

5.1.2. Validade Não Dedutiva - A Verdade das premissas só sugere que a conclusão é plausível ou provável.

5.1.3. - Um Argumento não dedutivo é válido se a sua conclusão for relevante, razoável, provável ou plausível. Eles podem ser válidos e não improváveis, desde que não sejam impossíveis, ou seja, ter as premissas verdadeiras e a conclusão falsa. 

5.1.4 - Argumentos Indutivos - conduzem a conclusões que não derivam necessariamente das premissas. 

 

5.2. 8 Combinações possíveis entre Verdade/Falsidade das Premissas e da Conclusão com a Validade/Invalidade do Argumento:

 

Premisssas Argumento  Conclusão 

 

Verdadeiras

Válido  Verdadeira 
É impossível ser Falsa

Inválido

 

Verdadeira 

 

Falsas

Válido

 

Falsa

Inválido Verdadeira
Falsa

 

 

6 Verdade e Falsidade - valores que só são atribuíveis a proposições.

6.1. Condição de Veracidade: o seu acordo com o real. 


7 Forma -

 

8 Conteúdo -

 

9 Inferência Válida - a inferência que suporta um argumento pode ser consistente ou não.

 

9.1. Premissas - "Como se sabe..." - introduz uma premissa maior; "uma vez que..." - introduz uma premissa menor. 

 

9.2. Conclusão - "Logo..." - Conclusão.

 

 

10 Falácia - argumento inválido com falsa aparência de validade.

10.1 Paralogismo - Falácia involuntária

10.2. Falácia Voluntária - Sofisma

10.3 - Falácias Formais - decorrem da forma lógica do argumento; existe quebra das de inferência válida. 

10.4 - Falácias Informais - referem-se a argumentos não dedutivos; superam o estudo da forma lógica.

 


11 Dedução -

 

12 Indução - 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.